18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

Continue lendo
03/02/2014 Sonhos Viciados

Piazzas I

Hélio Oiticica beija minha mão esquerda enquanto eu tento esconder opiáceos dos guardas e malandros dessa rua antiga e sem dono. Me escondo nos paralelos invisíveis da tua língua morta sem tradutores e dicionários. […]

Leia mais…

Continue lendo
26/09/2015 Gritos do Nada

Vidraça

Não serei mais vidraça pro seu grito de guerra Nem admitirei ser fraco ou omisso Aqui quem fala é que nunca espera É quem fez de verdade da luta compromisso. Não aceito seu preconceito descabido Sua neura e sua falta de argumento Me deixe então com meu livre arbítrio! Já que não me é possível […]

Leia mais…

Continue lendo

Todo final é feliz! (?)

31/01/2019 Gritos do Nada

Todo final é feliz
Porque o fim acaba com tudo

Eu sempre quis
Vencer esse mundo

Mas quem é feliz?
Sendo ignorado ou mudo

Quem é que quis?
Salvar-se no fim de tudo

Não há respostas
Corretas ou erradas

Não quero saber
Das coisas passadas

Me diz pra viver
Esperando por nada

Mas como saber
A hora da guinada

Perdi a esperança
Numa curva errada

Chorei como criança
A bebida derramada

Deseja a plebe mansa
Quem operada a jogada

Mas a revolta avança
Sobre a morte anunciada

Onde mora a beleza
Se aqui não nasce nada

Quem pediu por certeza
Perdeu-se pela estrada

Quem tem destreza
Mantem a chama apagada

Se diz da realeza
Os donos dessa barca furada

Ir ao post original

São Paulo habita em mim

25/01/2019 Sonhos Viciados

Eu sou todo saudade,
Entre a São João e avenida liberdade.

Eu sou todo um corpo violado,
Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas.

Eu sou todo pixo,
Pura violência nos muros da sua intimidade.

Eu sou todo abandono,
Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche.

Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do meu Vicente vizinho.

Eu sou todo insônia,
Cortando olhares suspeitos na rua Aurora as seis da tarde.

Eu sou todo narcótico, fila no banco, anestesiado pelo vai e vem faminto de suas ruidosas e infinitas janelas.

Sala de espera e enchente. Tudo isso no mesmo abraço.

São Paula habita em mim

Ir ao post original

O comício se acaba e só o mar é infinito

12/08/2018 Sonhos Viciados

Palavras de ordem em um caminho que ninguém passa.
O grito das Poesias sonhadas & nunca ditas.

O comício se acaba e só o mar é infinito.
A fome devasta as crianças de olhos pequenos e pés descalços.
Brincamos num mundo inventado onde os pederastas nos vigiam & só o sol castiga.

As mentiras postas pra dormir em doces boas noites.
As pessoas de bem perdem o fôlego.
O som ensurdece e só o sol castiga.

Mais um dia de perigos & nas pirâmides da minha alma eu só repito adoráveis mentiras recorfontantes.

Os ossos inflam, os olhos refletindo todos os seus medos na minha carne.

Os deuses mudos, o comício se acaba, só o sol castiga & só o mar é infinito.

Ir ao post original

Recordar é viver

27/09/2011 Gritos do Nada

O maior dos homens gol! Romário!

Todos têm um homem gol… Ou deveriam ter Alguém pra se gritar o nome quando vemos a rede estufar Um cara, ou “o cara”, que faça o adversário tremer Que faça a arquibancada torcer e vibrar… E ele pode passar o jogo quase todo sem receber uma redonda E ele xinga, se exaspera, pois pra […]

Leia mais…

30/07/2010 Colunas - Gritos do Nada

Corpo Nu

Ela tirou todas as peças…Um corpo Nu! Vazio de roupasCheio de lembrançasUm corpo nu de pele branca Sem marcas, límpido…Em pé eu te assistoDeitada, sonolentaAmeaça se levantar… Eu digo que fico… Que fiz pra ter seu corpo?Onde foi que acertei?Vejo paz e medo no seu rosto…E digo: por pouco não chorei! Olho, e a busca […]

Leia mais…

09/03/2012 Zumbido Fugaz

Horas ao luar

É sangue mesmo não é mais o meu batom ele não borra mais o seu lençol foi tirado  há segundos com toques carinhosos pela minha face… Maquiagem? Para que me serve agora? esse ou aquele penteado faz diferença? A cor da minha blusa ou da minha unha em nada vai interferir agora… É a união […]

Leia mais…

14/05/2013 Sonhos Viciados

Moço, sua camisa tem um furo

Garoto assustado. Cadê a coragem pra se libertar? Abandonar o trabalho. Viver um grande amor. Garoto assustado. Copos e copos de bebidas não vão te salvar. Desista dos crediários, capas de revistas. Moço, sua camisa tem um furo. Comprar uma dose forte, a mesma quantidade do teu vício vergonhoso. Tem um furo na tua camisa. […]

Leia mais…

27/07/2012 Colunas - Zumbido Fugaz

Anjo perdido

Eu me vi caindo da minha doce nuvem que me supria de todas as necessidades me envolvia em noites geladas e refrescava-me com sua sombra. Sabia que ia ser difícil o novo mundo e cai de ombro em um muro que de longe era tão belo com seus rabiscos que me assustou o impacto forte. […]

Leia mais…

26/01/2013 Gritos do Nada

Contabilizando dias, medidas e o que não é mais meu

Sento-me sobre a cama que não é mais minha Olho, sorrindo, cada objeto que não é mais meu Caminho descalço pela casa que não é minha Bebo água no copo que não é mais meu E cada pedaço eu sei quanto custou De dinheiro, de suor e de preocupação Sorrio dos momentos que achei que […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: