Piazzas II

Posted by & filed under Sonhos Viciados.

Estou todo aos pedaços, os senhores que dormem nos bancos também estão aos pedaços. As senhoras que aqui correm apressadas também estão aos pedaços. Os jardins são feitos de pedaços, o cachimbo na mão do garoto é feito de pedaços. Só tenho meia-dúzia de moedas no bolso que me dividem em mais pedaços.

Piazzas I

Posted by & filed under Sonhos Viciados.

Hélio Oiticica beija minha mão esquerda enquanto eu tento esconder opiáceos dos guardas e malandros dessa rua antiga e sem dono. Me escondo nos paralelos invisíveis da tua língua morta sem tradutores e dicionários.

Nosso jantar romântico é um desperdício

Posted by & filed under Sonhos Viciados.

Nosso jantar romântico é um desperdício. Saciamos nossas vontades físicas, sonegando histórias e olhares. Nossa piada é um suicido ético, bem vestida, limpa e engomada. Entende? Nossa piada não tem graça. Nossa história sem clímax, um desperdício. Gastando a hora, azeite e tempero. Depois tem a gorjeta, dentes amarelos e desespero. Retórica da indiferença. Meus… Read more »

Eu sou uma fração de segundo

Posted by & filed under Sonhos Viciados.

Eu sou a fração de segundo que antecede: Um beijo molhado; O cruzar de pernas da Sharon Stone; Um soco na cara; Um palavrão solto em alto e bom tom. Sou um segundo breve de hesitação: Que excita os amantes; Satifaz o ladrão; Assombra os assassinos; Mar de insônia aos mendigos. Pobre coitado, já nasceu… Read more »