Fiz dos teus secretos pêlos meu confessionário

Todos os meus gestos trouxeram mulheres,e minhas mãos as tiveram como se fossem as únicas.Minhas puras e divinas moças,pra se perder nesses lençóis maldosos. Assutadas as paredes me deram golpes,por ouvir seus gemidos, de todas as intensidades.E eu na calmaria, arruinado pelo cansaço,disse baixinho enquanto uma delas dormia. Declarei a minha terrível verdade.Que penso sim, […]

Leia mais…

Os prédios desafiando

Seus olhos negros,dizendo bom dia. Os lençóis mudos,como se estivessem envergonhados,como se existisse pecados,nesse quarto frio e úmido. Ainda lembro das palavras,do seu olhar fixo e pessimista. Hoje, com a sua carne na minha,lembro da sua teoria, de pessoas e mares.De navegar em oceanos. Lembro das frases todas,de como é terrível perceber,que com tantas embarcaçõesquase […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: