Estico o braço e o ônibus para.
Embarco no opaco viver do ônibus vazio,

Percebo que deveria ter te olhado mais
Pois não guardei como queria

Todos os seus tracos, palavras e birras
Me despedi como quem ia ver no outro dia

Com um mero tchau, tao banal
sem dizer o quanto me importava

Mas hoje o céu é de uma cor indefinível.
Incrível esse céu que assisto da janela.

Perco minha atenção pensando nela…
nela e em todo o meu tempo perdido…

Não gritei seu nome quando te vi
Não não preenchi de lágrimas o vazio dos meus olhos

Mas o ônibus, impassível, prossegue por ruas agitadas
E eu sei que agora você não esta mais a minha vista

E passeia com sorrisos só aqui dentro de mim
Você se foi… sera que também devo ir em frente?

Pisando no que você foi para mim?
Não, eu não to preparado

Ainda preciso chegar em casa
E fingir que no próximo ônibus você chega.

Leave a Reply

  • (will not be published)

Últimas Postagens

Nus e Perdidos

Vou sair essa noite
Pela rua e de mim mesmo
Vou ser outro essa noite
Desconhecido sair a esmo

Desfaço os nós dos seus dedos
Chupo seus lábios em flor
Me dobro e te domino o desejo
Façamos um de nós sentir dor

Continue lendo…

17

Coletivo Dois Quatro – Meu Pecado Solar

Estou aqui para você
Como o girassol para o sol
Mesmo sofrendo queimando
Minha face sempre estará voltada para ti!

Seu calor me aquece, mas queima
Como minha pele quando te toco
Me derreto nos seus braços…
Mas é você que escorre pelos meus dedos

Continue lendo…

56

Coletivo Dois Três – O ônibus e os caminhos sem volta

Estico o braço e o ônibus para.
Embarco no opaco viver do ônibus vazio,

Percebo que deveria ter te olhado mais
Pois não guardei como queria

Todos os seus tracos, palavras e birras
Me despedi como quem ia ver no outro dia

Continue lendo…

107
Todos meus poetas favoritos estão presentes / Alguns vivos, outros mortos, uma parcela perdidos.

Coletivo Dois Dois – Meu Velório

32
Não se salva um condenado pelo destino de luxúria.

Coletivo Dois Um – Cafajeste com Sorriso no Rosto

51

E brindaremos mais uma vez aos dias dourados. O verão dos nossos corações.

Queria ter uma ode aos 20 anos… mas eles por si só são uma ode! Uma ode a vida, aos erros, as incertezas e a brusca, e as vezes imensurável, alegria de simplesmente viver…

Continue lendo…

110

Escreva também
no prascucuias

Ultrapasse a barreira do conformismo e mande seu texto para gente.

Envie seu texto

Assine nossa newsletter

[contact-form-7 id="3498" title="Newsletter"]