Medianeras

02/08/2011 Coletivo

Uma tarde de quinta feira.
Eis que recebo um sms da minha grande amiga Daniele de Lima, o cinema “Reserva Cultural”, e o filme um argentino chamado Medianeras.

Gosto muito do cinema argentino, apesar do exagero de algumas tramas a grande maioria dos filmes são de roteiros bem interessantes, aceitei na hora.
Algumas horas depois (passei no bar antes o dia era quente…) ingresso comprados, abraços nos amigos e sala!

Referência mais que direta a "Onde esta Wally"...

O filme nos apresenta uma Buenos Aires através dos olhos dos protagonistas Martin, um webdesigner geek e Mariana uma arquiteta frustrada que se sente realizada como vitrinista.  Ambos solitários e desesperançados no amor, ele abandonado pela namorada que depois de pisar em solo estrangeiro sente se uma cidadã americana nata! E de praxe ainda deixa uma simpática cadela de recordação;

Ela convive com a angustia de um fim de um namoro de cinco anos….Martin e Mariana não se conhecem, porem compartilham do mesmo gosto musical, freqüentam a mesma natação, se esbarram nas ruas, não esse filme não é uma comédia romântica recheada de clichês! (ainda bem!) este o grande trunfo de Medianeras, o filme nos apresenta uma história que poderia ser a do seu amigo, irmão ou a sua, o  jovem adulto que procura sexo na internet, que tornou-se hipocondríaco (e até neurótico) , que bebe cerveja e acredita que seu computador é o centro do universo, os protagonistas vivem suas medíocres vidas, transam ocasionalmente, divagam sobre a caótica arquitetura da metrópole (sim eles são bem parecidos conosco não há planejamento arquitetônico na cidade!) tentam ser felizes cada a sua maneira, pode até parecer roteiro de filme do Woody Allen (referência afirmada pelo diretor) mas uma coisa não se pode negar, é quase impossível piscar os olhos em Medianeras.

Alguém que se perde facilmente entre cerveja, noites, amores, sexo, shows, músicas, letras, palavras, motos, asfalto, montanhas, amigos e nunca acha que é muito o muito pouco que viveu!

Comentários

One thought on “Medianeras

  1. Ah… o cinema argentino. Eu sou fã confessa. O bom é que esse saiu em DVD e agora dá para ver e rever quando quiser. Estou só esperando para comprar o meu.
    Até+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

09/06/2014 Coletivo

Nus e Perdidos

Vou sair essa noite Pela rua e de mim mesmo Vou ser outro essa noite Desconhecido sair a esmo Desfaço os nós dos seus dedos Chupo seus lábios em flor Me dobro e te domino o desejo Façamos um de nós sentir dor […]

Leia mais…

05/02/2014 Coletivo

Coletivo Dois Quatro – Meu Pecado Solar

Estou aqui para você Como o girassol para o sol Mesmo sofrendo queimando Minha face sempre estará voltada para ti! Seu calor me aquece, mas queima Como minha pele quando te toco Me derreto nos seus braços… Mas é você que escorre pelos meus dedos […]

Leia mais…

16/01/2014 Coletivo

Coletivo Dois Três – O ônibus e os caminhos sem volta

Estico o braço e o ônibus para. Embarco no opaco viver do ônibus vazio, Percebo que deveria ter te olhado mais Pois não guardei como queria Todos os seus tracos, palavras e birras Me despedi como quem ia ver no outro dia […]

Leia mais…

06/01/2014 Coletivo
Todos meus poetas favoritos estão presentes / Alguns vivos, outros mortos, uma parcela perdidos.

Coletivo Dois Dois – Meu Velório

30/09/2013 Coletivo
Não se salva um condenado pelo destino de luxúria.

Coletivo Dois Um – Cafajeste com Sorriso no Rosto

15/04/2013 Coletivo

E brindaremos mais uma vez aos dias dourados. O verão dos nossos corações.

Queria ter uma ode aos 20 anos… mas eles por si só são uma ode! Uma ode a vida, aos erros, as incertezas e a brusca, e as vezes imensurável, alegria de simplesmente viver… […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: