Ramones e Anos 90… saudades!

18/05/2011 Colunas - Gritos do Nada

Eu não me acostumo
Com as roupas coloridas
Com as girias produzidas

Nem consigo ouvir
As guitarras limpinhas
As vozes tão finas

Me irrita o olhar
E é estranho ver
Esses all star`s limpinhos
Nem rasgados, tão fofinhos

Essa impessoalidade
A falsidade dos abraços
A loucura das bebidas
Tudo bobo e sem sentido

Talvez seja eu o idiota
Pregado nas coisas do passado
Onde cada um era o que era
E ser adolescente era condição passageira

Acho mesmo que é culpa minha
Sentir raiva de adultos sorridentes
Que se acham tão novinhos
Cheios de suas rugas ao sorrir

Acho que sou eu
Com raiva das senhoras mentirosas
Com botox e silicone
Que compram garotos pra desfilar

Perdi a mão eu acho
Num ano novo qualquer em 90
Onde era mais fácil ser “si próprio”
E rículo só seguir

Queria o ano de 91
Onde Nirvana era novidade
Com seus gritos e inconformismo

Hoje o Restart nasce no studio
Filho de um produtor qualquer
E esse garotos são produtos
Jogadas nas prateleiras da TV

Queria que fosse 90
Pra esperar pelo lançamento
Dos Ramones de um disco novo
Que se chamaria Loco Live
E a ultima turnê passaria no Brasil.

Nem queria ser mais garoto novo
Nem queria ter mais o que viver
Queria só um pouco de autenticidade
E ver o mundo, um pouquinho menos chato

Acho que queria anos 90
Pra não ter medo do que dizer
Pra não conhecer a palavra bullyng
E mandar todo mundo se foder

Acho que me perdi de novo
Numa curva qualquer,
da nova garota do Tchan
Num mundo ainda sem ICQ

Alguém que se perde facilmente entre cerveja, noites, amores, sexo, shows, músicas, letras, palavras, motos, asfalto, montanhas, amigos e nunca acha que é muito o muito pouco que viveu!

Comentários

2 thoughts on “Ramones e Anos 90… saudades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

22/03/2019 Gritos do Nada

Eles dizem pra eu consumir

Eles dizem pra eu consumirLogo eles que me consomem Eles que pagam com granaAquilo que não se recupera Dizem que a grana compra a satisfaçãoDe ter algo feito com o tempo de alguém Eles dizem pra eu consumirLogo eu que queria só viver Mas a grana paga o tempo que perdi?Compro sorrisos de plástico na […]

Leia mais…

03/02/2019 Gritos do Nada

Conversa Tóxica

Não estava ouvindo Não estava sentindo Só estava falando Só estava mentindo Não estava feliz Não, não era uma atriz Não estava querendo Ele estava por um triz […]

Leia mais…

31/01/2019 Gritos do Nada
Quem pediu por certeza Perdeu-se pela estrada

Todo final é feliz! (?)

28/01/2019 Gritos do Nada

BolsoPatriotismo Tosco

[…]

Leia mais…

25/01/2019 Sonhos Viciados

São Paulo habita em mim

Eu sou todo saudade,Entre a São João e avenida liberdade. Eu sou todo um corpo violado,Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas. Eu sou todo pixo,Pura violência nos muros da sua intimidade. Eu sou todo abandono,Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche. Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do […]

Leia mais…

12/08/2018 Sonhos Viciados

O comício se acaba e só o mar é infinito

Palavras de ordem em um caminho que ninguém passa. O grito das Poesias sonhadas & nunca ditas. O comício se acaba e só o mar é infinito. A fome devasta as crianças de olhos pequenos e pés descalços. Brincamos num mundo inventado onde os pederastas nos vigiam & só o sol castiga. As mentiras postas […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: