Anjo perdido

27/07/2012 Colunas - Zumbido Fugaz

Eu me vi caindo da minha doce nuvem
que me supria de todas as necessidades
me envolvia em noites geladas
e refrescava-me com sua sombra.

Sabia que ia ser difícil o novo mundo
e cai de ombro em um muro
que de longe era tão belo com seus rabiscos
que me assustou o impacto forte.

O som dos carros me assustaram tanto
que pensei que aquilo era o som do inferno
porém olhando mais atentamente
aqui também tinham pedaços de nuvens…

As nuvens eram encantadoras!
Mas aquele velho que emitia barulhos estranhos
cobrava um papel estranho ou moedas
para poder obter um pedaço dentro de um saco.

Por que aprisionavam as nuvens?
As pessoas mal queriam-as, dando-as a anões
eram gnomos? Mas eram tão lindos
que eu me deixei levar pela beleza inocente.

Caminhei, sorri para as pessoas que retribuiram
achei que não queria mais ir embora daqui
só que fui surpreendida por um demônio
que disse que anjos não podem habitar esse lugar…

Me entristeci tanto, que me desmanchei
era forte, mas feita de açucar e agora
tento adoçar a boca das pessoas para que elas
consigam se alegrar mais, nesse purgatório…

Um certo alguém simples que busca conhecimento e auto-conhecimento através dos escritos. Que se encanta por olhares e perde a noção do tempo tentando desvendá-los...

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

22/03/2019 Gritos do Nada

Eles dizem pra eu consumir

Eles dizem pra eu consumirLogo eles que me consomem Eles que pagam com granaAquilo que não se recupera Dizem que a grana compra a satisfaçãoDe ter algo feito com o tempo de alguém Eles dizem pra eu consumirLogo eu que queria só viver Mas a grana paga o tempo que perdi?Compro sorrisos de plástico na […]

Leia mais…

03/02/2019 Gritos do Nada

Conversa Tóxica

Não estava ouvindo Não estava sentindo Só estava falando Só estava mentindo Não estava feliz Não, não era uma atriz Não estava querendo Ele estava por um triz […]

Leia mais…

31/01/2019 Gritos do Nada
Quem pediu por certeza Perdeu-se pela estrada

Todo final é feliz! (?)

28/01/2019 Gritos do Nada

BolsoPatriotismo Tosco

[…]

Leia mais…

25/01/2019 Sonhos Viciados

São Paulo habita em mim

Eu sou todo saudade,Entre a São João e avenida liberdade. Eu sou todo um corpo violado,Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas. Eu sou todo pixo,Pura violência nos muros da sua intimidade. Eu sou todo abandono,Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche. Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do […]

Leia mais…

12/08/2018 Sonhos Viciados

O comício se acaba e só o mar é infinito

Palavras de ordem em um caminho que ninguém passa. O grito das Poesias sonhadas & nunca ditas. O comício se acaba e só o mar é infinito. A fome devasta as crianças de olhos pequenos e pés descalços. Brincamos num mundo inventado onde os pederastas nos vigiam & só o sol castiga. As mentiras postas […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: