Começo dos sonhos de um jovem mais velho

03/12/2013 Zumbido Fugaz

Eram dias de revolta jogados em um papel qualquer
sol tão quente e interminável de estranhos dias
sentindo todo o desejo ao chegar na estação de S. Caetano
que quando o trem chegava e a bunda de alguma garota
insistia em permanecer em suas mãos de rapaz maduro, delirava.

Percebia que aquilo não era vida para ele.
Uma moto chegou e conseguiu sentir mais emoção
cantando: ”I’m on the highway to hell
On the highway to hell…”

Mostrar o mundo para os outros não era o que queria
ansiava mesmo em fazer enxergar além do espelho
das sombras, óculos, jaquetas de couro e carros
e história muito estudou e quase enlouqueceu de fato.

Mulher na vida de um quase canalha é piada
mas e se ela não quiser mudá-lo e desse jeito conquista-lo?
É isso, o nosso menino romanticamente barato

agora queria desvendar a literatura mais linda
para os olhos verdes ter só para si, para sempre.

Não achou ainda a mais linda das poesias
mas o sentimento da sua musa conquistou
levando-a ao altar, para sempre ao seu lado, cantando:
”…No stop signs, speed limit
Nobody’s gonna slow me down…”

PS.: Pequena homenagem ao chefe Betão, que hoje tá ficando mais velho, muito amor e rock and roll!!!

Um certo alguém simples que busca conhecimento e auto-conhecimento através dos escritos. Que se encanta por olhares e perde a noção do tempo tentando desvendá-los...

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

23/07/2016 Zumbido Fugaz

Frases de 1 palavra só II – Perguntas

Tudo termina por aqui? Como? Quando? Por quê? Tinha algo bom por aqui? Ansiamos? Erramos? Jogamos? Precisamos trazer a sorte? Talvez? Você sabe? Não? Concedemos o que havia de melhor? Brindamos? Entregamos? Transamos? Eu naõ sei… […]

Leia mais…

24/06/2015 Zumbido Fugaz

Procure e ache

[…]

Leia mais…

09/06/2015 Zumbido Fugaz

Quando eu não te encontrei

Caminhei só, te procurando pelo bairro japonês que tantas vezes nos deu sabor, esbarrões e amor. […]

Leia mais…

08/05/2015 Zumbido Fugaz

Pedacinhos

[…]

Leia mais…

31/03/2015 Zumbido Fugaz

Por todo o tempo

[…]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: