No seu formato

06/02/2015 Zumbido Fugaz

Você amou o que eu poderia ser
nunca o que eu de fato sou.

Você amou o que podíamos ter
por que não o que já tínhamos?

Você quis a minha face calma
e não todas que eu tenho.

Você se enturmou com meus bons amigos
e apagou da minha agenda os culpados.

Você proibiu meus risos irônicos
mas nunca aceitou minhas revisões.

Você quis ser meu príncipe
porém não perguntou se eu queria um.

Você quis que eu fosse só sua
e nem se importou de ser de outras.

Você tentou me amarrar ao pé da cama
e eu dei um nó na sua garganta
quando percebeu que eu podia caminhar
e ser o que quisesse ser agora…

Um certo alguém simples que busca conhecimento e auto-conhecimento através dos escritos. Que se encanta por olhares e perde a noção do tempo tentando desvendá-los...

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

23/07/2016 Zumbido Fugaz

Frases de 1 palavra só II – Perguntas

Tudo termina por aqui? Como? Quando? Por quê? Tinha algo bom por aqui? Ansiamos? Erramos? Jogamos? Precisamos trazer a sorte? Talvez? Você sabe? Não? Concedemos o que havia de melhor? Brindamos? Entregamos? Transamos? Eu naõ sei… […]

Leia mais…

24/06/2015 Zumbido Fugaz

Procure e ache

[…]

Leia mais…

09/06/2015 Zumbido Fugaz

Quando eu não te encontrei

Caminhei só, te procurando pelo bairro japonês que tantas vezes nos deu sabor, esbarrões e amor. […]

Leia mais…

08/05/2015 Zumbido Fugaz

Pedacinhos

[…]

Leia mais…

31/03/2015 Zumbido Fugaz

Por todo o tempo

[…]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: