18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

Continue lendo
03/02/2014 Sonhos Viciados

Piazzas I

Hélio Oiticica beija minha mão esquerda enquanto eu tento esconder opiáceos dos guardas e malandros dessa rua antiga e sem dono. Me escondo nos paralelos invisíveis da tua língua morta sem tradutores e dicionários. […]

Leia mais…

Continue lendo
26/09/2015 Gritos do Nada

Vidraça

Não serei mais vidraça pro seu grito de guerra Nem admitirei ser fraco ou omisso Aqui quem fala é que nunca espera É quem fez de verdade da luta compromisso. Não aceito seu preconceito descabido Sua neura e sua falta de argumento Me deixe então com meu livre arbítrio! Já que não me é possível […]

Leia mais…

Continue lendo

Pras cucuias

30/03/2009 Colunas - Gritos do Nada

Eu não sei meu destino…
E nem tenho mais saco de olhar
O horóscopo ou as notícias…
Talvez meu destino seja vagar

Pra longe eu me ofereço
Com o tenis cansado nos pés
E nem pra trás eu quero olhar
Pra não arriscar nenhum revés

Cadê aquelas placas amarelas?
Malditas indicações com setas a apontar
Onde estão as marcas na estrada
Com as freadas de quem já quis parar

Sem medo de sujeira nas sarjetas
Na real procurando sujeiras e ratatuias
E como nunca vou saber pra onde vou
Vou só olhar pra cima… e vou prascucuias…

Ir ao post original

3 anos…

27/02/2009 Colunas - Gritos do Nada

Sim… demoramos…

A culpa é da crise, ela que é culpada de tudo.
Não costumo contar sobre as coisas que escrevo, mas acho importante falar que ontem fizeram 3 anos que duas pessoas maravilhosas, que não conheci, faleceram prematuramente num acidente de moto.
Não estava lá, mas ouvi a história, e me foi impossível não escrever e acho que posso colocar aqui o que senti…

Uma Estrela, Um Astro

Eu vi mais um Astro no chão
Como cinzas da fogueira a se apagar
Estava bem perto dele a sua Estrela
Que só brilhava mesmo no nosso olhar

Eu vi uma lágrima a rolar
E a Estrela subia pro céu
Era questão de horas pra acontecer…
Espera Estrela… o Astro vai te acompanhar

Eu nem sabia o que dizer
Nem tinha certeza de poder falar
Queria um cobertor pra me cobrir
Não chorava sozinha, pra variar

Não havia sangue no chão…
E procurava com a mão,
um calor que não sentia mais…

Já é uma tragédia, “mais uma” vão dizer
Mas suas estatísticas não vão mudar:
Eu uma Estrela cair;
Eu vi um Astro chorar.

E não me diga que sente sem sentir
Não diga que sabe o que passei…
Senti os últimos suspiros do Astro
Que assistia impassível, sua Estrela morrer…

Acredito em Deus pra poder sorrir
Pois se existe um paraíso pra ficar
E esse for o lugar mais lindo que existir
Tenho certeza: tem mais dois lá a se amar…

Ir ao post original

Anti-Pressa

08/02/2009 Colunas - Gritos do Nada

Todo mundo corre…Todos cheios de coisas pra fazer…
Riem, falam, se divertem, mas a vida passa…
Inexoravelmente ela passa, e nos leva..
Nos leva segundos, minutos, dias, anos…

E todos têm medo, e correm, como que pra viver mais
Como se a velocidade fosse pressuposto do prazer…
Como se a adrenalina fosse o néctar pra tudo que é bom

Mas há tanto prazer em contemplar, em sentir…
As risadas que, de tão longe, se misturam com o som da musica
E não se sabe o que é musica, o que é riso…
O som gostoso da sua voz quando fala comigo…

Coisas tão simples e sublimes, que são imperceptíveis em alta velocidade
Como a calma e serenidade da fonte de água que não para
O inusitado das cadeiras sobre as mesas…
O doce e magnífico sabor do seu beijo…

Ir ao post original

O Eterno Retorno

05/02/2009 Colunas - Sonhos Viciados

Eu continuo sem fazer a barba,
Escolhi hoje uma calça surrada.

O chefe diz que é melhor eu me endireitar.
Que se foi a produtividade.

Eu nem ligo, nem sei, não tô pra ser ouvidos.
Lá fora chove, como todos dias vem chovendo.

Eu penso nos olhares que dão lição ao vento,
eu penso na minha dor nos braços.

Ele fala mais algo,
e senti que estou longe.

Eu penso na janta,
na gente,
das noites embriagadas…

Olho a janela e deixo um suspiro.
Como aquele que deixei pra ela.

Um suspiro e só um segredo no ouvido

Ir ao post original

Coletivo Zero Um

01/02/2009 Coletivo

Tem umas imagens que ficam na minha cabeça, a mesma prática não tenho com textos, datas e acontecimentos… Somem como eventos fantasmas amendrotatos.
Assim como as imagens, tem frases que ficam na minha cabeça, me ligam! E fico por dias com elas na cachola!

“Clemência fingida, nem morte nem vida.

Ir ao post original

Recordar é viver

30/06/2011 Colunas - Gritos do Nada

Coisas dos dias…

Esticar o meu tempoCaber nos seus momentosLamber as feridas do seu dia Sugar o prazer dos “oi’s”Te abraçar de olhos fechadosE não dizer nunca adeus… Apertar sua mãoEmbaixo do cobertorTe puxar pra pertoSentir seu cheiro Não medir palavrasDizer bobagensSorrir do seu riso Esperar você chegarPra abrir a porta de toalhaE quem sabe te convencer a […]

Leia mais…

15/08/2011 Gritos do Nada

O silêncio dos lobos II

  Eu sinto a morte, quando dos meus lobos eu me perco   Os nossos lobos devoram a noite Deglutindo, perdidos, as horas e rostos Nossos lobos uivam e choram Perdidos caçando na noite mais gosto Esses lobos, que são malditos e ingratos Destroem cada noite na esperança de poder viver E essas noites que […]

Leia mais…

26/09/2015 Gritos do Nada

Vidraça

Não serei mais vidraça pro seu grito de guerra Nem admitirei ser fraco ou omisso Aqui quem fala é que nunca espera É quem fez de verdade da luta compromisso. Não aceito seu preconceito descabido Sua neura e sua falta de argumento Me deixe então com meu livre arbítrio! Já que não me é possível […]

Leia mais…

18/10/2011 Gritos do Nada

Marcas e Chuva

Tenho contado os minutos, intermináveis de antes de te beijar Mesmos minutos vadios que passam voando quando estamos grudados Perdi a conta dos sorrisos que dou quando do nada começo a lembrar Dos deliciosos minutos rápidos que abraçado a você passei encantado Nos seus beijos o gosto da chuva, estou adorando e não disfarço A […]

Leia mais…

08/05/2015 Zumbido Fugaz

Pedacinhos

[…]

Leia mais…

25/02/2010 Colunas - Gritos do Nada

Cansado

E se parar de viver?Admitir o cansaço e ficar?Deitar na cama e morrer?Assistir o fim sem chorar? Estou melancólico hoje…Tinha uns sonhos guardadosQuem sabe eles não emboloraram?E agora, verdes, nada dizem a mim… Abri meu coração, e não estava como queroEra a mesma massa, mas não o mesmo pulsarTalvez culpa dos sonhos perdidos, eu esperoQue […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: