18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

Continue lendo
03/02/2014 Sonhos Viciados

Piazzas I

Hélio Oiticica beija minha mão esquerda enquanto eu tento esconder opiáceos dos guardas e malandros dessa rua antiga e sem dono. Me escondo nos paralelos invisíveis da tua língua morta sem tradutores e dicionários. […]

Leia mais…

Continue lendo
26/09/2015 Gritos do Nada

Vidraça

Não serei mais vidraça pro seu grito de guerra Nem admitirei ser fraco ou omisso Aqui quem fala é que nunca espera É quem fez de verdade da luta compromisso. Não aceito seu preconceito descabido Sua neura e sua falta de argumento Me deixe então com meu livre arbítrio! Já que não me é possível […]

Leia mais…

Continue lendo

O passado trás presente

18/08/2016 Zumbido Fugaz

O seu nome ecoa na minha mente
Como o sino que insiste
Em avisar sobre a missa das 18h

O seu corpo comprime meus anseios
Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos

Quando eu te vejo chegar um carro bate
E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que vejo

Não posso dizer que você é diferente
Todo ser tem as suas opções de ser
Você é a particularidade que eu escolhi

Quando sinto você vir passear
De mãos atadas em mim
E corpo indefeso
Eu entendo, o único sentido é te sentir.

Ir ao post original

Recordar é viver

09/10/2012 Zumbido Fugaz
Quero o seu gosto de pêssego salgado em mim olhar e sentir exalado no ar seu desejo

Resiste?

06/02/2012 Gritos do Nada

Apagar…

E no fim era só fogo! E água apaga o fogo, E o ar balança o fogo E o fogo se consome e some!! Era bem menos, e “era” As culpas, essas sim voaram! Foram pra além do fogo! E quem atiou o fogo? Não, não importa mais! Agora o crime é o apagar, É […]

Leia mais…

08/05/2011 Colunas - Gritos do Nada

Ontem… E nunca!

Tarde da noite, já bebi…Mas hoje nem bebi demaisNoite já tarde, onde estou?Em que passo da noite tropecei? Seguro essa noite, posto que ninguém me seguraCom os olhos vidrados nos olhos de quem fala cuspindoFalei tantas coisas, bati com vontadeE no alto da maldade eu também cuspi Gritei as bobagens as velhas e as novasNão […]

Leia mais…

28/08/2013 Gritos do Nada

Tudo normal?

São 19hs e lá fora todos correm e de novo tá um caos O mesmo que estava ontem e com certeza amanhã As ruas estão lotadas e sujas e parece até normal Ver um bêbado no chão que esperando o sol da manhã Mendigos colhem pelo chão sujo restos de um jornal Seus cobertores! Mas […]

Leia mais…

26/03/2014 Sonhos Viciados
...e tudo isso porque a vida real é soco na cara...

Virtualizei a palavra dura pra ficar mais bonito

25/07/2013 Zumbido Fugaz

7 – 1 de 7: Luxúria

Luxúria é vontade de jogar-se ao fim Inevitável incoerência com loucura Ficar de frente com o monstro que sou eu mesma. […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: