26/09/2015 Gritos do Nada

Vidraça

Não serei mais vidraça pro seu grito de guerra Nem admitirei ser fraco ou omisso Aqui quem fala é que nunca espera É quem fez de verdade da luta compromisso. Não aceito seu preconceito descabido Sua neura e sua falta de argumento Me deixe então com meu livre arbítrio! Já que não me é possível […]

Leia mais…

Continue lendo
18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

Continue lendo
03/02/2014 Sonhos Viciados

Piazzas I

Hélio Oiticica beija minha mão esquerda enquanto eu tento esconder opiáceos dos guardas e malandros dessa rua antiga e sem dono. Me escondo nos paralelos invisíveis da tua língua morta sem tradutores e dicionários. […]

Leia mais…

Continue lendo

O passado trás presente

18/08/2016 Zumbido Fugaz

O seu nome ecoa na minha mente
Como o sino que insiste
Em avisar sobre a missa das 18h

O seu corpo comprime meus anseios
Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos

Quando eu te vejo chegar um carro bate
E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que vejo

Não posso dizer que você é diferente
Todo ser tem as suas opções de ser
Você é a particularidade que eu escolhi

Quando sinto você vir passear
De mãos atadas em mim
E corpo indefeso
Eu entendo, o único sentido é te sentir.

Ir ao post original

Recordar é viver

25/10/2012 Colunas - Sonhos Viciados

Em algum ponto de uma estrada perdida

Um homem e uma mulher rasgando estradas, mirando mapas e placas. De nada vale chegar, o que importa é o asfalto, o trajeto infinito de nossa cumplicidade. […]

Leia mais…

08/08/2012 Gritos do Nada

De mãos dadas….

Ele desceu aquela escada decidido Seu sorriso reluzia mais que a careca Os passos eram meio vacilantes, acanhados Sorria para nós, mas sem reconhecer ninguém Ficou um tempo olhando em volta Todos os sorrisos de volta eram seus Tenho certeza que pensou ser um sonho E era um sonho, mas era real também Foram longos […]

Leia mais…

17/05/2011 Colunas - Gritos do Nada

Corvo Laranja!

Ele sentou no meu ombroUm corvo laranja(!!)Em silêncio, soturnoCorvo quieto, defunto Se curva sobre meu peitoSem me ferir atinge meu coraçãoMe degrute, me mastiga devagarUm estorno, um corvo, uma ilusão Sentei-me, a solução é sentarCorvo faminto pede mais sangueUm corvo orange que quer ação Grasna esse corvoGrito por socorroVoa o meu corvoDo tédio, da solidão […]

Leia mais…

25/07/2016 Sonhos Viciados

Frases de uma palavra só III – Eu sei

18/08/2011 Gritos do Nada

Tapa!

Onde a lágrima cairá de imediato Vou continuar ante seus gritos de “para”! Num relâmpago vago de sinceridade, numa curva escura de malicia e maldade, numa noite regado a cerveja e saudade, nesse dia contarei toda a verdade! Na mais longa falta de tato No mais lindo tapa na cara Onde a lágrima cairá de […]

Leia mais…

05/06/2014 Sonhos Viciados

Só mais um bar gourmet

Estou morrendo de inanição Em um dia comum Nenhum garçom entende meus desesperos. Estaca no peito desse ser vampiresco de olhos estalos. […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: