Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios – Marçal Aquino

07/01/2012 Resenhas de Livros

Gosto dos livros por causa de cada história que eles carregam, essa frase parece óbvia demais não? Quase isso. Muito além das palavras impressas em cada encardenado temos um apego, uma dedicatória, um amor, um amigo. Cada livro vira um registro do espaço tempo das nossas vidas. Como músicas de infância, as trilhas sonoras dos nossos romances. Só folhear cada um na estante que acende as memórias.

Vou começar com a história do livro, a do autor mesmo. A história relata o romance de Cauby e Lavínia, ele um fotógrafo viajado que pousa no Pará, um Pará que enfrenta conflitos entre empresas e mineradores sedentos por ouro. E ela uma linda moça de humor instável e casada. O terceiro membro da trama é Ernani, o marido de Lavínia, um líder religioso da região, um pastor influente que vai arrematar a história de Cauby.

O livro é dividido em partes que ajudam a entender a instabilidade de Lavínia, o olhar de Cauby, a presença de Ernani. Além do triângulo amoroso outros personagens são igualmente interessantes, Chang, um careca, uma dona Jane, Viktor Laurance. A primeira parte do livro inicia com a explosão do romance de Lavínia e Cauby, o ponto auge do livro.

Nota 10. A primeira parte introuz Cauby e fortalece a primeira parte do livro, “o amor é sexualmente transmissível”, essa parte faz você querer chegar logo ao fim. Só no meio ele perde um pouco o ritmo, daí você se dá conta que é uma ficção, pois até então tá mais para novela da vida real.

Agora volto pra minha história. A que vai ficar quando eu olhar pra estante. Praia. Gosto de férias, aquele momento de que amantes atingem um alto nível de cumplicidade e um cara que não gosta de livros.

Irônico, não? Pois é. Ganhei esse livro de um amigo secreto da empresa, ele solta um:

– Legal o livro, mas eu mesmo não gosto de ler.

Em dois segundos eu fico em choque, no outro segundo eu penso em como fazê-lo a gostar de livros. Desisto de todas as anteriores. Tá certo seu Monteiro já alertava que uma sociedade decente se faz com livros e muito visconde de sabugosa, mas vá lá. Ele só não gosta de ler, vai que ele troca as horas de leitura e vai aproveitar a vida. Que? Ler também é aproveitar vida? Talvez pra ele não.

Fiquei dias pensando nisso, porque eu leio? Não sei ainda.

O segredo, dizia Chang, o china da loja, não é descobrir o que as pessoas escondem, e sim entender o que elas mostram.

Cauby discorre sobre amor citando um livro que ele lia e relia na época da explosão do seu romance com Lavinia. O que vemos no mundo, um tratado sobre o amor de B. Schianberg.

“Minha vida não estaria completa. Porque nenhuma vida está completa sem um grande desastre, como afirma Schianberg. Um sábio. Pervertido, mas sábio”

Seu amigo, Viktor Laurence é apaixonado por livros e cita situações e personagens da ficção como se fossem reais meio a conversas cotidianas.

Daqui uns anos vou abrir de novo o livro e sentir cheiro de areia, o vento da balsa, um amor num quarto com vista pro mar. Vou lembrar do Inácio, do cachorro marujo, da Sandrinha “malhação”.

A minha trilha sonora quando não se pode fazer barulho. E você, porque gosta de ler?

Obs. O livro que Cauby lê é ficção e serviu de guia para um um filme interessantíssimo. O amor segundo B. Schianberg.

Obs 02. Esse livro virou filme, não vi ainda, mas já estou atrás pra ver. Quem gosta da Camila Pitanga, fique atento, ela dá vida a Lavinia, moça de dupla personalidade que gosta de baixaria, ao menos uma de suas personalidades que Cauby nomeou como Shirley

Livrão. Nota 9!

Um cara entre vielas cheias de gente e ônibus lotado. Que se perde em alguns bares e se põe a ver a velocidade dessa gente. E rir da estupidez dessa lógica.

Comentários

2 thoughts on “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios – Marçal Aquino

  1. Taí mais um escritor que morro de vontade de ler, mas ainda não tive a oportunidade. Pelo que conheci por meio das adaptações cinematográficas de Cão sem Dono e O Invasor, sei que vou gostar dos livros. Esse da resenha está na minha lista há tempos…

  2. Não conhecia esse livro, mas gostei muito pelo que eu vi. Ainda mais que é bem longe do que eu sempre costumo.
    E só pra comentar, gostei muito de como você falou do livro. Às vezes fica mais legal assim do que a resenha comum.

Deixe uma resposta para Dana Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

13/02/2012 Resenhas de Livros

Ultraje a rigor – Nós vamos invadir a sua praia – Andréa Ascenção

Uma, duas páginas e já deu vontade de pegar um ônibus e cair na estrada. Se ser jogador de futebol não era teu sonho, talvez botar o pé na estada sim. Aterrorizar hotéis e estar em duas cidades num mesmo dia. Ia ser uma boa. Na terceira página você quase liga pros amigos e pensa […]

Leia mais…

07/01/2012 Resenhas de Livros

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios – Marçal Aquino

Gosto dos livros por causa de cada história que eles carregam, essa frase parece óbvia demais não? Quase isso. Muito além das palavras impressas em cada encardenado temos um apego, uma dedicatória, um amor, um amigo. Cada livro vira um registro do espaço tempo das nossas vidas. Como músicas de infância, as trilhas sonoras dos […]

Leia mais…

22/11/2011 Resenhas de Livros

Natimorto – Lourenço Mutarelli

Conheci o Mutarelli pra valer quando ganhei o Jesus Kid, outro livro do cara, só sabia até então que ele tinha escrito o romance Cheiro do Ralo e atuava no filme. Mas Jesus Kid merece uma resenha só pra ele. O natimorto foi outro presente. Esse, não reserva tanto humor como Jesus Kid, mas é […]

Leia mais…

22/09/2011 Resenhas de Livros

O Capitão Saiu para o Almoço e os Marinheiros Tomaram Conta do Navio – Charles Bukowski

Já tinha lido outros do bukowski, iniciei pelos poemas. E esse é dos bons, se acha em banca de jornal, não é tão caro e se lê rapidinho. O último dos beats, o escritor dos mordenetes. Escolha seu rótulo, mas tudo isso você pode ler em qualquer lugar. Comecei a ler Bukowski porque ele é […]

Leia mais…

06/09/2011 Resenhas de Livros

A Luz do Sul – Osvaldo Junior

Sabe aqueles textos que a gente escreve no calor de um amor, as vezes correspondido e as vezes não, que a gente tem vergonha ou receio de mostrar as pessoas por que as vezes não temos distanciamento pra saber se é bom ou ruim? Ai ficamos inseguros e lá se vão bons textos, cheios de […]

Leia mais…

24/08/2011 Resenhas de Livros

Caos – Terrorismo poético e outros crimes exemplares – Hakim Bey

Qual melhor livro que eu já li? – Caos – Terrorismo poético e outros crimes exemplares! Assim, rápido, sem muito pensar. Talvez pensando com carinho exista algum outro, mas não importa, ele o é top of mind. Mas vou chegar até aqui, antes vou voltar e contar uma histórinha. Teve um tempo que dei de […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: