03/02/2014 Sonhos Viciados

Piazzas I

Hélio Oiticica beija minha mão esquerda enquanto eu tento esconder opiáceos dos guardas e malandros dessa rua antiga e sem dono. Me escondo nos paralelos invisíveis da tua língua morta sem tradutores e dicionários. […]

Leia mais…

Continue lendo
26/09/2015 Gritos do Nada

Vidraça

Não serei mais vidraça pro seu grito de guerra Nem admitirei ser fraco ou omisso Aqui quem fala é que nunca espera É quem fez de verdade da luta compromisso. Não aceito seu preconceito descabido Sua neura e sua falta de argumento Me deixe então com meu livre arbítrio! Já que não me é possível […]

Leia mais…

Continue lendo
18/08/2016 Zumbido Fugaz

O passado trás presente

O seu nome ecoa na minha mente Como o sino que insiste Em avisar sobre a missa das 18h O seu corpo comprime meus anseios Mas trás a tona os mesmos medos dos 16 anos Quando eu te vejo chegar um carro bate E eu não sei mais dizer se ainda são 14 cores que […]

Leia mais…

Continue lendo

Ninguém me Representa

24/06/2017 Gritos do Nada

Nenhum me representa
Só eu falo por mim
E o que se apresenta
Hoje é o começo do fim

E de quase tudo que falei
Só do silêncio me arrependo
Pois as palavras que não usei
Tem quase tudo que entendo

E se você confia neles
Você os merece então
Minha raiva é contra eles
Os velhos donos da nação

Se você os quer defender
Que faça isso mesmo
Prefiro não me comprometer
E poder criticar a esmo

E cada um que não desafia
O poder de um coronel alado
E prefere, mansinho, a covardia
De xingar quem mora ao lado

É alguém que nem merece
O tempo de um insulto
Pois só de pensar me aborrece
O tanto que és inculto

Melhor perder meu tempo
Em outro livro, outra história
Me alimentar no vendo
De um futuro, enfim, de glória.

Ir ao post original

Recordar é viver

09/11/2012 Zumbido Fugaz

Garoa

Por ventura eu estou ficando cansada é só do mundo e de mim esse esmalte é tão comum essas expressões e pessoas… A cobrança é sempre a mesma o discurso continua igualmente preso as calças de cintura alta voltaram me recorda isso o eterno retorno que tanto atormenta uma jovem amiga… Mas chega um rapaz […]

Leia mais…

06/10/2014 Zumbido Fugaz
Pintei a cara de branco para me salvar...

Quase um demônio

09/09/2014 Gritos do Nada
Fiquei em suspenso, perdido no ar E singrei pelo vácuo da sua oração

Minhas Últimas Palavras Pra Você Sorrir

17/02/2014 Sonhos Viciados

Piazzas II

Estou todo aos pedaços, os senhores que dormem nos bancos também estão aos pedaços. As senhoras que aqui correm apressadas também estão aos pedaços. Os jardins são feitos de pedaços, o cachimbo na mão do garoto é feito de pedaços. Só tenho meia-dúzia de moedas no bolso que me dividem em mais pedaços. […]

Leia mais…

11/09/2009 Colunas - Gritos do Nada

Outra Noite em Claro…

Passei sim mais outra maldita noite em claroProcurando a cada esquina um pouco de razãoSeparando as pernas pra mijar… bêbado, sempre… E surpresa!! Não encontrei novamente nada…A não ser eu mesmo… e meus pedaços pelo chãoJá não lembro o que bebi, e nem com quem bebi…E só sei que bebi porque sinto o gosto a […]

Leia mais…

03/01/2014 Gritos do Nada
É uma retrospectiva sentimental e é também uma lista, e em como toda lista que se preze, foram cometidas injustiças.

Findou-se o Ano – Uma Retrospectiva Sentimental

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: