Ainda me fazia sorrir…

30/12/2011 Gritos do Nada

Achei que era névoa o vapor que subia da gente
Cada lado da cama molhado de suor e nossa ofegância
era o único som a cortar o silêncio daquele quarto

… deixei-me enlouquecer pelos carinhos que destoaram
as cores do escuro total para uma combinação de vermelhos
junto com a sua delicadeza animal, tão envolvente e fatal.

E mesmo assim eras só meu último erro
Ou era ainda só mais outra em outra noite
Naquele momento, pequena, só podia me fazer sorrir

Mais noites passaram entre as paredes vermelhas
E então você já sabia me fazer sofrer, me irritar
Tinham noites em que não mais nos bastávamos

Lutei com o mundo, com o inevitável
Sonhei, dentre lágrimas, fugir contigo
Pois a realidade lhe bateu a porta primeiro
E virei o viúvo de um sonho falido

E no fim ficou claro que nada estava certo
As primeiras noites foram sublimes demais
E nada tão lindo resiste a realidade

Sonhar com você já não sonho
E sorrindo ainda posso lembrar
Das noites perdidas entre o desencontro
Das nossas mãos e dos carros na rua…

Imagem: Nan Goldin. Valérie in the mirror, L’Hôtel, Paris, 1999

Alguém que se perde facilmente entre cerveja, noites, amores, sexo, shows, músicas, letras, palavras, motos, asfalto, montanhas, amigos e nunca acha que é muito o muito pouco que viveu!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

22/03/2019 Gritos do Nada

Eles dizem pra eu consumir

Eles dizem pra eu consumirLogo eles que me consomem Eles que pagam com granaAquilo que não se recupera Dizem que a grana compra a satisfaçãoDe ter algo feito com o tempo de alguém Eles dizem pra eu consumirLogo eu que queria só viver Mas a grana paga o tempo que perdi?Compro sorrisos de plástico na […]

Leia mais…

03/02/2019 Gritos do Nada

Conversa Tóxica

Não estava ouvindo Não estava sentindo Só estava falando Só estava mentindo Não estava feliz Não, não era uma atriz Não estava querendo Ele estava por um triz […]

Leia mais…

31/01/2019 Gritos do Nada
Quem pediu por certeza Perdeu-se pela estrada

Todo final é feliz! (?)

28/01/2019 Gritos do Nada

BolsoPatriotismo Tosco

[…]

Leia mais…

25/01/2019 Sonhos Viciados

São Paulo habita em mim

Eu sou todo saudade,Entre a São João e avenida liberdade. Eu sou todo um corpo violado,Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas. Eu sou todo pixo,Pura violência nos muros da sua intimidade. Eu sou todo abandono,Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche. Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do […]

Leia mais…

12/08/2018 Sonhos Viciados

O comício se acaba e só o mar é infinito

Palavras de ordem em um caminho que ninguém passa. O grito das Poesias sonhadas & nunca ditas. O comício se acaba e só o mar é infinito. A fome devasta as crianças de olhos pequenos e pés descalços. Brincamos num mundo inventado onde os pederastas nos vigiam & só o sol castiga. As mentiras postas […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: