Escuro Demais (Tentativas de novos temas)

04/05/2011 Gritos do Nada

Era escuro demais pra ti e pra sua pele branca e seus olhos iluminados…
Era tempo demais pra mim, que tenho vivido demais e me jogar tem sido parte do jogo
E ver você, no escuro perdida, é assistir ao fim chegando logo…

Acho que era noite demais pra ti, com toda aquela música e confusão
O tempo era passado nos passos da música e na música em si…
É uma brisa de ontem que esbofeteia meu rosto, e sacode teu corpo

Procurava seu toque, como procura a terra o naufrago
Mas você disse que era noite demais pra ti, que era hora de partir
Não te pedi pra ficar, palavras nunca bastam, queria seu afago

E era noite demais pra mim quando você se foi
Ficar era a pior opção que tinha
E te seguir era correr atrás de sofrer

Entre ficar e partir, entre amar e desistir…
Eu não fiquei nem te segui, outro caminho vi passar
E no balanço de outros mundos eu parti

Mas ainda tem essas noites onde o meu amigo é o copo de conhaque!
E o meu flerte é com outra garrafa de cerveja,
E você o melhor dentre os motivos pra blindar…

Alguém que se perde facilmente entre cerveja, noites, amores, sexo, shows, músicas, letras, palavras, motos, asfalto, montanhas, amigos e nunca acha que é muito o muito pouco que viveu!

Comentários

5 thoughts on “Escuro Demais (Tentativas de novos temas)

  1. hehehehe então é esse o objetivo! rsrsrs

    Continua que vc chega lá… nunca terei coragem de postar um por dia…

    Aliás, até que sim… vamos ai? Um por dia?

    Mas tem que ter no mínimo duas estrofes ou parágrafos… rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

26/08/2020 Sonhos Viciados
O que será que leva dentro? O suor triste do operário?

Uma piñata feita com uma mochila Rappi

22/03/2019 Gritos do Nada

Eles dizem pra eu consumir

Eles dizem pra eu consumirLogo eles que me consomem Eles que pagam com granaAquilo que não se recupera Dizem que a grana compra a satisfaçãoDe ter algo feito com o tempo de alguém Eles dizem pra eu consumirLogo eu que queria só viver Mas a grana paga o tempo que perdi?Compro sorrisos de plástico na […]

Leia mais…

03/02/2019 Gritos do Nada

Conversa Tóxica

Não estava ouvindo Não estava sentindo Só estava falando Só estava mentindo Não estava feliz Não, não era uma atriz Não estava querendo Ele estava por um triz […]

Leia mais…

31/01/2019 Gritos do Nada
Quem pediu por certeza Perdeu-se pela estrada

Todo final é feliz! (?)

28/01/2019 Gritos do Nada

BolsoPatriotismo Tosco

[…]

Leia mais…

25/01/2019 Sonhos Viciados

São Paulo habita em mim

Eu sou todo saudade,Entre a São João e avenida liberdade. Eu sou todo um corpo violado,Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas. Eu sou todo pixo,Pura violência nos muros da sua intimidade. Eu sou todo abandono,Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche. Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: