O Circo…

03/10/2012 Gritos do Nada

Eles vomitam tudo que não querem em nossas cabeças
Mas pedem com fina educação para abrirmos bem as nossas bocas
Mas não vão perguntar pra gente se gostamos ou não do sabor
E não importa, eles comem o que podem e regurgitam o que não digerem

Sobras, somos um povo que vive só do que sobra
Do que sobra das propinas e da locupletação
Vivemos das migalhas que caem das mesas
Dos malditos donos dos papéis…

Igualdade é uma quimera desgraçada!
Que nos persegue e nos dizem que é bom
Mas não existe jeito mais eficiente
pra manter a porra toda desigual
do que não tratando diferentes pelo que são

Aqui um negro não é como um branco
Aqui mulher não é como homem
Gays não são como héteros
Primeiro temos que entender:
No Brasil todos somos enganados igualmente

Somos todos ovelhas, mas que votam nos lobos
Grandes idiotas que clamam pelo açoite
Não é que não sabemos votar… não é só isso
é que não temos a menor ideia do que é bom

Porque a gente gosta mesmo é de assistir
Pela TV, minha novela, nosso futebol e tudo mais
Também vemos “nosso” carnaval pelas imagens
Torcemos, choramos, mas sem sair do sofá

Pois aqui reclamar é esporte nacional!
Tem sempre um puto, bem consciente pra dizer:
“Tem que ver isso ai! Nada funciona”
Resolver mesmo não, nunca foi e nem é nosso forte

Até porque tudo se resolve no final, acreditamos
Já que aos trancos e barrancos construímos o país
Não importa quanto custa e nem quem vai morrer
Com jeitinho a gente ajeita e fica lindo no final

Sorrimos dos mal-feitos, fazemos um mugango e tudo bem!
Os mais espertos usam a falta de ética ao seu favor
Tem sempre “honestos” pra dar propina pro policia
Sobra sempre uma graninha pra quem “ajuda” a coisa a correr

Reclama do Sarney e vota no Maluf…
Sente repulsa pela esquerda, pelo PT
mas quer saúde pública pra todos
Arrota ética e tá lá justificando mensalão

Sente raiva dos candidatos…
Mas lê sobre a novela/futebol
Nem fodendo que lembra o nome do seu voto
Mas xinga: “Ninguém presta! Tanto faz…”
E faz a merda na urna de novo…

Mas tem algo, mais que isso, pra me deixar triste
Democracia, infelizmente, é boa demais
Pois jamais permitirá a um povo
Ter um líder melhor do que seu espelho.

Alguém que se perde facilmente entre cerveja, noites, amores, sexo, shows, músicas, letras, palavras, motos, asfalto, montanhas, amigos e nunca acha que é muito o muito pouco que viveu!

Comentários

One thought on “O Circo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

22/03/2019 Gritos do Nada

Eles dizem pra eu consumir

Eles dizem pra eu consumirLogo eles que me consomem Eles que pagam com granaAquilo que não se recupera Dizem que a grana compra a satisfaçãoDe ter algo feito com o tempo de alguém Eles dizem pra eu consumirLogo eu que queria só viver Mas a grana paga o tempo que perdi?Compro sorrisos de plástico na […]

Leia mais…

03/02/2019 Gritos do Nada

Conversa Tóxica

Não estava ouvindo Não estava sentindo Só estava falando Só estava mentindo Não estava feliz Não, não era uma atriz Não estava querendo Ele estava por um triz […]

Leia mais…

31/01/2019 Gritos do Nada
Quem pediu por certeza Perdeu-se pela estrada

Todo final é feliz! (?)

28/01/2019 Gritos do Nada

BolsoPatriotismo Tosco

[…]

Leia mais…

25/01/2019 Sonhos Viciados

São Paulo habita em mim

Eu sou todo saudade,Entre a São João e avenida liberdade. Eu sou todo um corpo violado,Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas. Eu sou todo pixo,Pura violência nos muros da sua intimidade. Eu sou todo abandono,Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche. Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do […]

Leia mais…

12/08/2018 Sonhos Viciados

O comício se acaba e só o mar é infinito

Palavras de ordem em um caminho que ninguém passa. O grito das Poesias sonhadas & nunca ditas. O comício se acaba e só o mar é infinito. A fome devasta as crianças de olhos pequenos e pés descalços. Brincamos num mundo inventado onde os pederastas nos vigiam & só o sol castiga. As mentiras postas […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: