Findou-se o Ano – Uma Retrospectiva Sentimental

03/01/2014 Gritos do Nada

Você acompanha o saite? Duvido! Pelos gráficos de acesso, vocês acessam as coisas separadamente, dependendo de quem posta e de quem compartilha…

Portanto uma Retrospectiva, mais do que lembrá-los, trará uma série de surpresas.

Mudamos o layout do bichão esse ano!! Foi preciso, estávamos cansados da carinha dele… até porque de nós 3, apenas o Thiago (e sua barba de mendigo) não gosta de mudanças de estilo…

Muito embora tenhamos conseguido escrever bastante (mais 1 ano em que o Beto goleou os outros colunistas em número de publicações! Rá!) a gente deu uma bela de uma relaxada esse ano, por isso talvez nós mudemos a forma como postamos (ainda nem falei isso pra eles).

retrospectiva

Segue uma retrospectiva mês a mês:

Janeiro: 2013 começou com declarações de amor do Thiago (Confissão de amor e O vento atravessa a sala, cozinha, silêncio.), Beto e a constatação de que (depois de casado) nada mais era só dele (Contabilizando dias, medidas e o que não é mais meu) e também sua revolta contra essa vida imersa em celulares e Faces (Tecno-existência) e com a Érica (nossa poeta em forma de musa) dizendo que quer a imperfeição dos dias cinzentos, das falas erradas, do amor de verdade (Imperfeita perfeição).

Não vou ficar citando texto por texto (eu ia, juro, mas a preguiça é muita!) vou pinçar alguns por mês, creio que isso dará um bom panorama…

Em Fevereiro teve carnaval e acho que por isso vagabundamos e foram poucos textos, aqui vai um do Beto, um dos melhores do ano: Nos meus erros (Nos meus erros)

Em Março fomos igualmente zuados, postamos quase nada… aliás até aqui a dona Érica num tinha feito quase nada e março continuou assim!

Vou pegar um dos que mais gostei de ler esse ano, do Thiagão: Violência e Liberdade de Mãos Dadas

Abril! Enfim enchemos nossos corações de inspiração e o site de textos ruins! rs

Vou pegar 2 porque não consegui escolher só 1… aliás deveria escolher mais, mas 2 tá bom. Vamos começar por um coletivo em homenagem a Dona Érica e seus inacreditáveis e inaceitáveis 20 anos (sim ela completou APENAS 20 primaveras em abril): E brindaremos mais uma vez aos dias dourados. O verão dos nossos corações. que embora seja uma homenagem a Érica, foi uma terapia para Thiago e Beto (senhores barbudos) lembrarmos como éramos e como mudamos.

Neste mês de abril a Érica brindou-nos com 2 peças de tristeza, a morte e o fim pousaram nos ombros da mocinha… ainda assim o outro texto de abril será do Beto! E por que? Porque eu posso.Então leiam (ou releiam): A mesmice e a Velhice.

Veio Maio e continuamos escrevendo bastante, neste mês pego mais 2, da Érica – Que desejo descontrolado é esse? Parte II uma homenagem ao amor puro e arcaico de meio século atrás que duravam meio século ou mais.

E também teve do Thiago – Axioma de um coração em coma sobre a sensação dos dias e vida perdidos, da angústia que te faz querer viver mais e te aprisiona no sofá! BANG!

Chegou Junho e o frio… ou não, num lembro se teve frio. Lembro que teve o #vemprarua e os colunistas (velhos barbudos) se deleitaram a cantar a euforia do povo na rua… Por isso, desculpa Érica, mas esse mês foi dos velhos!

Do ThiagoAs ruas estão tomadas [ou o dia que voltei a ter esperança]. E do BetoDesesperada Esperança.

Julho veio e nos fomos bem nesse mês!! Foi quando rolou a troca de layout… foi tão legal que vou selecionar 4!! Sim 4! Sem explicações lá vão:

Coletivo – Novidades em 3,2,1… Da Érica, terminando a contagem – O PrimeiroBetoNo vermelho do Farol e do ThiagoPoema Liso (hoje eu fui dormir diferente).

Em Agosto cometerei injustiças!! Vou selecionar só 2! E agosto merecia mais, mas o que seria de uma lista senão fossem as injustiças que ela comete?

E por tratar-se de uma retrospectiva sentimental, vou deixar de fora o meu preferido de 2013, simplesmente porque não fui eu que escrevi!!

Um texto de amor (ou não) da ÉricaMeu Abrigo e um ARROGANTE manual de como ser poeta que o Beto escreveu – Conselhos de um Poeta Sujo e Brega.

Ah Setembro… eu gostei de todos os textos de setembro!! E vou selecionar uma porrada deles:

Um do Gustavo Parandré, que mandou seu texto por aqui e nos brindou com – VazioTeve uma declaração de amor ao ato de escrever que o Beto fez – Sobre os Motivos.

Um dos mais fodas das galáxias de texto (infelizmente do Thiago e não meu) – Cata-vento cravado no peito (ontem eu tive um sonho)Outro ótimo do ThiagoEstou pronto para esquecer meus amores de verão e da Érica um triste – Cherry.

Outubro e mais uma porrada de texto, e nós já acostumados com o novo layout, a ideia era dominar o mundo, mas não conseguimos fazer o Facebook atrair tanto leitor assim… ficamos com o objetivo de vomitar nossas dores e prazeres na tela que tava de bom tamanho.

Aliás de bom tamanho tá essa seleção aqui:

Por Érica, mais um fim, agora amargo e sem dor – A escolhado Beto, uma declaração de amor a SP – Detestar Amar e do Thiago a solidão da casa vazia em – Flutuando num domingo com relógios atrasados.

Para fechar o mês uma declaração de amor à musa do Betão (mais uma!) – Irreparavelmente.

Em Novembro cometerei mais injustiças e lá vão as minhas duas escolhas:

Por BetoMatei meus Heróis e pela ÉricaNão durmo de domingo pra segunda.

Ah Dezembro… o quase vazio mês de dezembro… e não preciso nem selecionar, foi um mês de 2 homenagens ao Beto, obviamente mais que merecidas, e (mais um!) puta texto do Thiago:

Da ÉricaComeço dos Sonhos de um Jovem mais Velho e do ThiagoHits Paraenses Embalam nossa corrida rumo ao nada.

Pra fechar a comilança das festividades de fim de ano mais um do Thiagão – Nosso jantar romântico é um desperdício.

Assim terminamos 2013! Talvez melhores que 2012, mas ainda longe do que seremos ao findar 2014!

O que prometemos para 2014? O de sempre: Sinceridade! Única qualidade de verdade presente em cada texto que escrevemos ao longo de nossas vidas!

P.S.: Não resisti! A injustiça de agosto foi Todos os Garotos Estão Mortos.

Alguém que se perde facilmente entre cerveja, noites, amores, sexo, shows, músicas, letras, palavras, motos, asfalto, montanhas, amigos e nunca acha que é muito o muito pouco que viveu!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

22/03/2019 Gritos do Nada

Eles dizem pra eu consumir

Eles dizem pra eu consumirLogo eles que me consomem Eles que pagam com granaAquilo que não se recupera Dizem que a grana compra a satisfaçãoDe ter algo feito com o tempo de alguém Eles dizem pra eu consumirLogo eu que queria só viver Mas a grana paga o tempo que perdi?Compro sorrisos de plástico na […]

Leia mais…

03/02/2019 Gritos do Nada

Conversa Tóxica

Não estava ouvindo Não estava sentindo Só estava falando Só estava mentindo Não estava feliz Não, não era uma atriz Não estava querendo Ele estava por um triz […]

Leia mais…

31/01/2019 Gritos do Nada
Quem pediu por certeza Perdeu-se pela estrada

Todo final é feliz! (?)

28/01/2019 Gritos do Nada

BolsoPatriotismo Tosco

[…]

Leia mais…

25/01/2019 Sonhos Viciados

São Paulo habita em mim

Eu sou todo saudade,Entre a São João e avenida liberdade. Eu sou todo um corpo violado,Um bar esquecido no altar suspenso das suas coxas. Eu sou todo pixo,Pura violência nos muros da sua intimidade. Eu sou todo abandono,Adormecido na fileira mais suja do cine Arouche. Eu sou todo saudade, afogado no barril de corote do […]

Leia mais…

12/08/2018 Sonhos Viciados

O comício se acaba e só o mar é infinito

Palavras de ordem em um caminho que ninguém passa. O grito das Poesias sonhadas & nunca ditas. O comício se acaba e só o mar é infinito. A fome devasta as crianças de olhos pequenos e pés descalços. Brincamos num mundo inventado onde os pederastas nos vigiam & só o sol castiga. As mentiras postas […]

Leia mais…

Artista



Acervo público Metropolitan Museum of Arts, créditos: